60 anos de Brasília

60 anos de Brasília

Conheça um pouco da história de quem vem transformando a capital federal ao longo dos anos

Brasília está prestes a completar 60 anos no próximo dia 21 de abril. Planejada por Oscar Niemeyer, a cidade conta com um invejável conjunto arquitetônico e urbanístico, e por isso é considerada um patrimônio histórico pela UNESCO. Com pouco mais de três milhões de habitantes, a capital federal é berço de diversas histórias repletas de sonhos, protagonizadas por pessoas que aqui nasceram ou que escolheram a cidade como o lugar ideal para morar, atraídas pelo sonho de Juscelino Kubitschek. Em comemoração à essa data tão especial, conheça algumas dessas trajetórias.

Um apaixonado por Brasília

Quantas histórias cabem em uma cidade? Para o jornalista, fotógrafo, músico, ilustrador e documentarista, Daniel Zukko, são milhares, de todas as cores e para todos os interesses. Daniel é daqueles profissionais incomuns, que saem da rotina e estão sempre em busca de novidades para expressar o que sentem, e um desses sentimentos é o seu amor incondicional por Brasília. Como não poderia ser diferente, já no começo de 2020, ele deu o pontapé nas comemorações do aniversário da capital, com a estreia da série 60 Candangos, que conta com depoimento de 60 candangos e suas relações com a cidade. A ideia foi apresentar algo que homenageasse a capital de forma inédita, diferente do que já vem sendo feito, desde 2013, quando lançou o programa de entrevistas #Minhabrasilia. O foco sempre foi a cidade, suas belezas, monumentos e agora, quem está em evidência são as pessoas que, de alguma forma, fazem parte dela.

Daniel Zukko- crédito Telmo Ximenes

Ao todo, são 60 vídeos, de quatro a cinco minutos, veiculados, nas redes do #Minhabrasilia,  de segunda a sexta-feira, até o dia 17 de abril. A homenagem é composta de várias vozes: o jornalista Alexandre Garcia, o cantor Digão, o designer Danilo Barbosa, o ex-jogador de basquete Pipoka, o poeta Nicolas Behr, o ator Adriano Siri, a irmã do cantor Renato Russo – Carmem Teresa Mandredini, o cantor Philippe Seabra, entre tantas outras. “Os depoimentos estão emocionantes e tem muita gente se identificando com cada relato e cada experiência pessoal de cada convidado. Eu tento mostrar um pouco como essas relações e vivências influenciaram ou continuam influenciando na construção da cidade e vice-versa. Brasília não seria a mesma sem as pessoas e as pessoas não seriam as mesmas sem Brasília. Desta vez, eu saio de cena e os protagonistas são os candangos de várias gerações”, explica Daniel Zukko.

Como todo mundo já sabe, Daniel é um apaixonado por Brasília. Como ele mesmo gosta de falar, leva a vida contando histórias e a cidade virou tema da sua vida e do seu trabalho, a partir de 2013, quando criou o programa de entrevistas #Minhabrasilia: papos divertidos com artistas, personalidades da capital, ou não, e políticos dentro de uma VW Brasília 78, numa volta por Brasília. A partir daí não parou mais e desenvolveu outros projetos, sempre com o objetivo de exaltar a cidade, entre eles está a série #Minhabrasilia  Entre Asas e Eixos (apresenta pontos importantes de Brasília explorando a beleza, arquitetura e arte, além de contar histórias e curiosidades). Em 2018 lançou o livro Cenas Candangas: Guia Ilustrado do Quadrado’s Way of Life, uma declaração de amor à cidade e a todos os candangos (São 100 páginas com textos e ilustrações que traduzem o jeito brasiliense de levar a vida, com todas as suas contradições, culturas, misturas, gírias e sotaques. Um livro para matar de orgulho quem nasceu ou mora em Brasília e, também, para quebrar preconceitos e apresentar para o resto do Brasil uma capital que vai muito além da política). Em 2020 também lançou a mini-série o Pequeno Dicionário Candango, que mostrou um pouco do dialeto de Brasília (um time de humoristas contou um pouco do “candanguês”). As novidades não param por aí, promete lançar, ainda esse ano, o livro Cenas Candangas 2: Ser Candango é. 

Acolhimento

David Lechtig, conhecido na capital por comandar a rede de restaurantes El Paso, nasceu no Peru e cresceu na Guatemala.  Porém, foi na adolescência que o destino o trouxe para o local onde ele criaria raízes e afetos: Brasília. A história de amor de David com o quadradinho começa em 1983, quando ele e a família se mudaram devido ao trabalho do pai, o médico peruano Aaron Lechtig. No início, a ideia era ficar apenas quatro anos, mas, em 1986, as coisas tomaram outro rumo. Aos 42 anos, Rosa Garcia de Lechtig, chamada carinhosamente de Rosita, faleceu graças a um câncer no pulmão. “Isso foi muito marcante, me fez decidir ficar em Brasília. Os últimos momentos dela foram aqui, é aqui que ela está enterrada”.

David Lechtig

David conta que a fama de lugar “frio” de Brasília não procede.  “Eu nunca poderia dizer isso. Recebi muito carinho aqui nos momentos mais difíceis da minha vida”. Quando a mãe faleceu e o pai foi embora para Moçambique, o chef e as duas irmãs puderam sentir o calor do acolhimento da capital. “Isso foi muito marcante para mim, 35 anos depois, continuo com uma relação muito próxima com aqueles que nos abraçaram na dor. Brasília é um local que propicia muito o convívio familiar. O brasiliense ampara o estrangeiro com carinho. Tenho várias famílias aqui e, para cada uma, tenho um amor diferente”, se derrete ao falar da cidade. Para o futuro, David deseja que a estrutura da capital planejada consiga acompanhar o crescimento rápido. “Brasília está virando uma metrópole. Espero que consiga conciliar desenvolvimento com qualidade”.

Produção Brasiliense

Nascida na Capital Federal, a jornalista e empresária Rafaela Dornas, começou sua carreira na televisão com apenas 16 anos quando atuava na TV Nacional. Além de comandar o programa Inside (veiculado no SBT Brasília), está à frente da sua produtora de vídeos Rafaela Dornas Produções.  O ponto-chave dessa trajetória de sucesso está muito ligada à determinação da apresentadora e sua equipe em sempre levar o melhor conteúdo ao brasiliense. Só para ser ter uma ideia, o Inside é voltado para toda a família brasiliense, um programa de variedades, que apresenta assuntos relevantes da capital, abordando temas como saúde, gastronomia, moda, intimidade com personagens da cidade e entrevistas com artistas locais, nacionais e internacionais. Não é à toa que a atração ganha cada vez mais audiência, sendo uma das líderes entre as atrações locais do gênero.

Rafaela Dornas_Divulgação

Rafaela Dornas participa de todas as etapas: desde a escolha de pautas até a parte comercial do programa, produção das matérias e acompanha toda a edição.  “Foi aos 16 anos que descobri a minha paixão pela televisão, quando fiz um teste para um programa de TV, incentivada por um amigo de colégio e a partir daí não parei mais. Considero tanto o SBT Brasília como os telespectadores brasilienses uma família, afinal, crescemos juntos. Estar tantos anos no ar, em uma mesma emissora, é fruto de muito trabalho: eu nunca “parei no tempo”, sempre estou pensando em inovação para oferecer o melhor para o meu público”, explica Rafaela Dornas.

Texto – Destak Comunicação

Compartilhe em suas redes sociais:

Comentários